{fp} lee, baehyun

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{fp} lee, baehyun

Mensagem por Lee Bae Hyun em 20th Setembro 2016, 6:02 pm





dançarinos, cantores e rappers
moon j ent.
BA Gene
heterossexual
AB
17 anos
nipo-coreana

Moon-J Entertainment
avatar
Mensagens :
117

Idade :
18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {fp} lee, baehyun

Mensagem por Lee Bae Hyun em 21st Setembro 2016, 9:57 am

Lee Baehyun / Shinoda Arisu


HISTORIA



Alguns diriam que nasceu em um dia de má sorte, outros dirão que a garota estava pré-disposta a ‘desgraças’ desde o nascimento... Mas a minoria, dirá que ela foi apenas um milagre na hora errada. A questão, na verdade, é que a pequena nasceu em uma família completamente sem estrutura. Obviamente, isso não daria frutos bons.

Começando do zero, apresento-lhes a família de Baehyun ou Arisu - se quiser chama-la pela sua segunda nacionalidade - : Lee Soohyun, sua mãe, uma coreana doce e muito simpática que adorava ser independente e solteira, filha única de um casal muito bem sucedido no ramo alimentício e muito amoroso. Do outro lado, Shinoda Hiro, seu pai, um japonês metido no ramo sujo dos negócios e da máfia local que era comandada por seus parentes mais próximos, os Shinoda, que consistiam basicamente em Sasaki, o pai frio e calculista a beira da morte e seus três filhos, Hiro e Amaya, os gêmeos competitivos e Yiruma, o mais novo que sempre botou seu bem-estar acima dos negócios.  Eram famílias e atitudes diferentes, mas isso não impediu de que houvesse uma relação apaixonada dentro desse caos. Em uma de suas viagens, Hiro se apaixonou à primeira vista por Soohyun, levando-a para Tóquio em um ato desesperado de carência, mas, depois disso, os dois avançaram até não haver mais caminho a ser andado.

No dia dezessete de abril, o fruto oculto de uma relação apaixonada nipo-coreana nasceu, bem em Tóquio, a cidade barulhenta. Shinoda Arisu, como foi chamada desde o princípio, era um bebê frágil e muito pálido, devido à má alimentação de sua mãe na gravidez, porém isso não impediu que Hiro e Soohyun dessem o amor que ela merecia. A garota crescia de forma regular, mas aparentava ser saudável. Suas bochechas rosadas, sua pele pálida e seus lábios vermelhos caracterizavam muito bem suas duas nacionalidades.

Tudo estava tranquilo e animado no começo. Soohyun passava todo o tempo cuidando da garota em um apartamento escondido e muito luxuoso – não que ela se importasse com isso, pois poderia ter o luxo que quisesse pela herança de sua família -, tendo visitas diárias e até pernoites de Hiro no local. Mas como qualquer coisa, aquilo não iria durar para sempre. Hiro tinha afazeres pesados para exercer... E além deles, uma presença invejosa e maldosa rondava a seu lado. Amaya, sua irmã gêmea, estava cansada de ser passada para trás pelos sucessos do irmão na carreira, e quando soube da família oculta de Hiro, usou a questão para fazer a cabeça do homem. Ela, que com sua pouca idade, já tinha uma filha de sete anos, Shinoda Maiya, que havia crescido pela ganancia da mãe. Então, de um modo manipulador, usou sua própria filha para mostrar os perigos e dificuldades de se criar uma família estando no ramo que estava. O resultado, infelizmente foi um dos piores: Hiro havia se convencido que sua carreira era melhor do que sua família, abandonando Soohyun sem muitas explicações e a mandando para Coréia junto de Arisu. No meio disso tudo, uma bondade ainda restava: Yiruma, o irmão mais novo, porém com mais raciocínio do que os mais velhos, era o único a saber abertamente da família de Hiro, e quando soube do desastre que havia ocorrido, resolveu levar Soohyun, Arisu e Maiya para Coréia em sua responsabilidade, sabendo que, se Amaya sabia das duas, não levaria muito tempo para que a máfia inteira soubesse. Por isso, no caminho da Coréia, ele explicou a situação toda para Soohyun, recomendando que trocassem de nome exatamente como ele faria com Maiya, já que a parte coreana da mesma garotinha havia morrido com seu pai. Mas ele mesmo sabia que isso era uma mentira. Amaya era ruim demais para deixar isso acontecer.

Soohyun ficou arrasada e assustada. Se via sozinha no mundo, mesmo tendo uma filha criança para cuidar. E infelizmente, negou os cuidados de Yiruma, que apenas aceitou a opinião da mulher e sumiu de sua vida em instantes.  Em seu novo mundo, Arisu foi recebida por seus avós com um novo nome: Lee Baehyun. Eles acharam estranho a vinda de Soohyun para casa, porém a felicidade de ter uma pequena era tanta que eles não questionaram tanto. Fizeram uma grande festa para a garota, que ainda era tão linda como a mãe, que infelizmente, caiu em uma depressão enorme, afetando não só seus pais, como sua própria filha.

Baehyun crescera em meio a muita bagunça e caos. Soohyun não era mais uma mãe, era apenas uma escrava que, para proteger Baehyun de uma ‘possível’ ameaça, cedia a qualquer pedido que a criança tinha, contanto que estivesse dentro de casa. É claro que boa coisa não poderia sair dali… Já que Bae estava se tornando uma criança desrespeitosa, principalmente pelo fato de que sua mãe nunca havia lhe ensinado os bons modos e nem ao menos como se dirigir a pessoas mais velhas e mais experientes, já que sua mãe havia se isolado em uma casa espaçosa e afastada de seus pais.

Agora, Baehyun era uma garota mimada, de oito anos que não enxergava nada além de si mesma e sua grande casa. Viveu sem amigos, com aulas particulares de ensino avançado e incrivelmente, foi ensinada a nunca esquecer sua cultura japonesa. Porém, isso teve de mudar um dia. O dinheiro estava escasso, já que, por punição em não ver sua neta, o pai de Soohyun havia cortado sua mesada, e em vez de aulas particulares em casa, Baehyun foi praticamente obrigada a sair de casa e se tornar uma cidadã comum, indo ao colégio e saindo pelas ruas. Foi somente lá, que ela teve de aprender - com muito esforço - como respeitar os outros ao seu redor.

Tudo isso, não estava fazendo bem para a cabeça da garota. Era um choque ‘cultural’ muito forte; Em sua casa, ela poderia mandar e desmandar em sua mãe, chamando-a pelo seu nome ao invés de “omma” e sendo constantemente lembrada que seu pai havia a havia deixado; Agora, na escola, a garota tinha que se esforçar para permanecer quieta e tratar a todos com respeito. Ela estava chegando ao nível máximo… E quanto mais segurava no colégio, mais explodia com sua mãe, mesmo que não observasse isso, era um looping vicioso, onde ela atacava e era atacada. Ela precisava de um limite, e foi uma professora quem deu.

Agora, com onze anos, Baehyun tinha aulas de canto de dança frequentemente, estimuladas apenas por sua professora, que funcionou como uma tutora nessa fase de aprendizagem; Vendo que a pequena Lee era uma menina frágil e isolada, Jisoo, uma professora do ensino fundamental, a orientou para que entrasse em aulas extras, dizendo que poderia passar mais tempo na escola do que em casa. Baehyun aceitou de imediato, o que veio em boa hora, pois percebeu sua paixão secreta por dança, e começava a se interessar ainda mais pelo hobbie.

Viveu bons anos com sua professora, indo em sua casa quando dava e passando mais tempo dançando do que conversando. Mas em um momento isso acabou, e Baehyun estava sozinha novamente... Só que agora, era um pouco mais consciente sobre seus atos. Já não ficava mais em casa com tanta frequência, pois conseguia achar qualquer atividade urbana atraente - e até mesmo, via as atividades como um refúgio de sua casa. Portanto, sua vida se resumia em aulas de dança, colégio e, finalmente quando teve a chance de reencontrar seus avós, semanas inteiras enfiada na casa dos idosos, que nessa fase, se tornaram seus pais.

Com treze anos, seus avós morreram e, infelizmente, ela teve de voltar para a casa.

Baehyun sempre crescera em mãos diferentes, passando por pessoas aleatórias sem nenhuma consciência disso. Professores, avós e até amizades insignificantes… E por fim, quando não lhe restava mais opções a não ser enfrentar uma mulher que, um dia, havia sido uma mãe, aceitou viver daquele modo. As duas não se falavam, pela mágoa que Soohyun tinha de a garota tê-la abandonado como Hiro fez e o orgulho cedo de Baehyun, mas mesmo assim, eram uma família.... Quieta e fria, mas mesmo assim, uma família.

Quando completou quinze anos, se interessou pelo mundo do entretenimento, e essa foi a primeira ocasião que foi comentada com sua mãe, que de começo negou, dizendo que havia perigo a fora... mas, pouco tempo depois, foi quem levou a garota para o prédio da empresa escolhida, dando o primeiro beijo no rosto de sua própria filha, que incrivelmente, aceitou de bom gosto.

Foram diversas audições, algumas falhas e algumas desistidas, até que finalmente, Baehyun decidiu mostrar seu verdadeiro dom: a dança. Foi aprovada para que começasse uma vida de trainee… E novamente, sem opção, encontrou mais um tutor que estaria a seu lado por um longo tempo: Cho Seungwoo, o manager que fora escolhido para a mesma... E escolhido, também, pela própria garota, que havia visto no homem, um tipo de relação familiar diferente. Pela primeira vez em um bom tempo, Baehyun se sentia segura. 


PERSONALIDADE



Baehyun tem uma aparência muito frágil e pálida, completamente diferente de seu interior. Apesar de se mostrar doce e sentimental, é totalmente o contrário. Odeia ser tachada como "menina doce" ou qualquer coisa que faça apologia a algo muito carinhoso e bonitinho. Gosta de ser tratada como uma mulher, apesar de não ser, e odeia quando as pessoas digam que ela não tem senso de nada. Pode ser divertida as vezes, apesar de fazer o ato sem perceber, sempre faz piadas fora de hora e está constantemente fazendo pegadinhas com seus amigos. As vezes a garota pode ser difícil de se lidar, devido a sua fase "quieta", onde prefere estar sozinha e observar tudo ao seu redor, o que ela faz muito bem. Sabe distinguir quando e como uma situação pode estar complicada para seu lado... E além disso tudo, é extremamente nervosa, quando algo não a agrada, ela fala na cara. Nunca teve filtros, e devido sua infância, nunca teve limites impostos... O que é motivo para – quem a conhece de perto – fazerem comentários sobre a personalidade forte dela, o que a deixa, na maioria das vezes, muito chateada por culpar sua infância complicada.


ATRIBUTOS

Pontos de Vocal: 10
Pontos de Rap: 10
Pontos de Dança: 20
Pontos de Atuação: 00
Moon-J Entertainment
avatar
Mensagens :
117

Idade :
18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {fp} lee, baehyun

Mensagem por Someone em 23rd Setembro 2016, 5:03 pm

Info
________________   with love, kaorgie


Sua ficha está aprovada!
Bem vindo(a) ao Sunnydays, desejamos que encontre muita diversão por aqui. sz

Someone
avatar
Mensagens :
271

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {fp} lee, baehyun

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum