[FP] Noh Sang Jun

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Noh Sang Jun

Mensagem por Noh Sang Jun em 6th Janeiro 2016, 11:51 pm

NOH SANG JUN
See, I've had to burn your kingdom down. And no rivers, and no lakes, can put the fire out.


25 ANOS
ATORES
MOON-J
A+
PANSEXUAL (ALPHA)
SUL COREANO




 “Noh”, de um passado cheio de glórias e boa renda por investimentos bem sucedidos, homens de negócio que, de certa forma, conseguiam destaque. No ramo principal da família, Youngjae continuava com o crescimento de seu “império”, liderando feito o alfa de uma alcateia, como o primeiro filho de uma linhagem repleta de histórias de sucesso. O problema é que, quanto mais se brilha, mais os outros irão notar sua presença. Mais vão invejar seu posto, competir por seu “território” e querer que saia de seus caminhos. Youngjae não fugia à regra.

Seguia-se tudo como planejava, até o momento em que conheceu sua primeira esposa. Bela moça, de boas maneiras, parecendo a perfeita dama para acompanhá-lo a subir os degraus da vida. Isto é, se não o tivesse empurrado “escadas abaixo”, derrubando suas ações, trazendo a falência e a desgraça. Um golpe vindo de seus opositores; e como se não bastasse, levou consigo seus filhos, que poderiam vir, no futuro, a liderar os resquícios do que o nome “Noh” carregava.

Várias outras passaram por suas mãos enquanto tentava se reerguer no mundo dos negócios, apoiando-se em seus contatos e o mínimo de ajuda que seus outros familiares concediam. Nem mesmo estes queriam a volta de sua ascensão, já que desejavam ocupar o cargo de “ramo principal” na árvore genealógica. Herdeiros era o que não faltavam, vindos de seus primos e tios que riam de sua desgraça. Estranhamente, todas desapareciam após certo tempo. Como as despachava, não se sabe. Muito provavelmente seu coração partido o fazia desconfiar de todas e largá-las depois de alguns meses de relacionamento.

A única a se escapar do abandono por mais tempo foi a que trouxe o último filho do homem. Um menino. Uma marionete com bastante utilidade, pode-se dizer. Desde o ventre já tinha um future planejado por seu pai, que desejava tê-lo honrando um nome de família que há tempos havia perdido boa parte de sua glória. O primogênito, filho homem, de mãe descartável por um esposo cercado por suas paranoias.

Como se não bastasse sua própria ruína, o pai criava o filho de acordo com suas crenças de que a qualquer momento – e com qualquer pessoa – poderia ser apunhalado pelas costas. Ninguém era seguro a confiar e, por vezes, nem ele mesmo. “Você pode se tornar o seu pior inimigo”, repetia Youngjae ao ensiná-lo a driblar seu jeito temperamental para fingir algo mais calmo. Que explodisse por dentro, ele não se importava. Contudo, na frente dos outros, deveria demonstrar controle da situação. Ensinava-o, desde cedo, a fingir. Mascarar. Ser alguém por fora que era diferente da pessoa por dentro. Algo que, mais tarde, poderia fazê-lo crescer como ator.

Ao mesmo tempo, um grande ponto fraco. Sendo seu próprio inimigo mais uma vez, Sangjun muitas vezes, depois de continuar fingindo tanto, perguntava-se quem ele mesmo era. Entre suas mais variadas faces, havia perdido a sua verdadeira.

Mais uma vez sua figura paterna o instruía a varrer as fraquezas para debaixo do tapete, mal imaginando que algum dia elas poderiam vir à tona e entrar em erupção, de tão acumuladas que estavam. De fato, Sangjun pode ser considerado como um acumulador. De tantos sapos engolidos, vai acumulando em forma de rancor e isso o destrói por dentro. Por culpa do que foi instruído, pensa ser algo normal e corriqueiro, que acontece com “os melhores”. Pobre ingenuidade.

Com os contatos que Youngjae ainda tinha, conseguiu o emprego de ator ao seu filho e colocou este em aulas de inglês. Há três anos no ramo de atuação, Sangjun ainda não parece satisfeito com sua vida plastificada. Mesmo sem provar da liberdade, deseja ter mais, conseguir mais, alcançar mais. Vê os objetivos de seu pai como se fossem os próprios, já que a cegueira o sentimental ainda o alcança. E como o cega.
 Está acostumado a liderar, tomar decisões, enfrentar cara a cara. Habitualmente tem a tendência de, em seus pensamentos, ficar digladiando contra seus impulsos. Ocorre na intenção de não levantar suspeitas sobre o quanto pode ser autoritário e se impor. Traz, então, menos dor de cabeça para si e quem está ao seu redor. Tomou como hábito ter certas “condutas” onde preza respeitar as opiniões alheias e manter as aparências, não interferindo em questões de terceiros; não obstante isso não significa que é facilmente influenciável.

Tudo em busca de tentar não perder a sua paciência, sendo mais fácil fazer vista grossa do que se intrometer ativamente em algo. Quando teima em algo, será isso e pronto. Fortemente enraizado e indisposto a ser flexível. Respeita, sim, mas não significa que aceita as opiniões e os conceitos dos outros para si. Isso faz com que muitas pessoas não apreciem a convivência com a sua cabeça dura, sendo um tanto quanto raro encontrar alguém que tenha se aventurado a conhecer mais do seu íntimo, além das fortes camadas de uma personalidade rígida. Poucos os que permaneceram ao seu lado para ir além de sua “casca dura”.

Externamente passa a impressão de alguém rigoroso, com traços rígidos na sua expressão; e não é nada diferente por dentro, já que foi criado desde muito jovem a seguir os passos de seu pai e ser tão severo quanto ele. Apesar de que, no seu lado externo, tenta parecer ter as situações em seu controle, mostrando inigualável calma e confiança em si mesmo, assim como por consequência, em seus atos. Por dentro, é uma tempestade, uma confusão. Sua força de vontade e insistência para manter uma aparência sóbria e no controle da situação faz com que segure grande parte de toda a personalidade explosiva com habilidade e precisão. Tenta não cair no calor da situação e se deixar levar pelo temperamento. Tem em si o conceito de que, se deve confiar em alguém, deve ser em si e em mais ninguém. Traço completamente aprendido pelas doutrinas passadas por seu progenitor, praticamente levando a desconfiança como herança de família.
♦ Fluente em ingles.


♦ Possui um ponto fraco por cães e demais filhotes.

 
♦ É ator desde muito jovem, tendo se associado à empresa por conta dos contatos de seu pai.

 
♦ Gosta de tomar chá gelado quando tem a chance.

 
♦ Preza por ficar sozinho sempre que pode.

 
Moon-J Entertainment
avatar
Mensagens :
10

Idade :
26

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Noh Sang Jun

Mensagem por Someone em 8th Janeiro 2016, 3:01 pm

Ficha
Ficha aceita, parabéns! <33

Bem-vindo ao Sunny Days
Someone
avatar
Mensagens :
271

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum