House of Cards

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 29th Fevereiro 2016, 1:30 am

Já se passava das 02:00 AM, o apartamento estava completamente escuro, o barulho da chuva que vinha do lado de fora era alto, as luzes da cidade e dos raios iluminavam vez ou outra a grande sala do apartamento do trio, o cômodo estava com almofadas reviradas e alguns papéis jogados pelo chão.
 
- RP fechada entre Gung Hyuk Dae e Kim Hyun Jae -
 


_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 29th Fevereiro 2016, 2:01 am



House of Cards
Após um dia inteiro de treino intenso finalmente o trio teve tempo para descansar naquela noite, chegou e a primeira coisa que fez ao chegar no apartamento foi procurar pelo seu quarto, fechando-se no mesmo sem nem mesmo dar boa noite para Chin ou Jae, jogou sua mochila no canto e se jogou na cama, fechando os olhos no mesmo segundo em que sua cabeça tombou no travesseiro, caindo em um sono profundo sem nem mesmo perceber.

“—Noona, noona! —O garotinho de cabelos negros chamava sua irmã mais velha que dormia profundamente, ele puxou de leve o pijama dela para a mesma despertar, o que acabou funcionando, a mais velha olhou para o garotinho por um momento parecia brava, mas ela sorriu em seguida.
—Não posso brincar agora, deveria ir dormir, Dae. —Disse a mais velha, o garotinho olhou para a porta de onde havia vindo e também para o corredor escuro, negando com a cabeça e as lágrimas começando a escorrer pelo seu rosto.
—Não consigo dormir sozinho, eu tive um pesadelo... Posso dormir com você? —Perguntou o garotinho, a mais velha não pareceu gostar muito da ideia, mas mesmo assim assentiu e deu espaço para seu dongsaeng deitar, mas antes que ele fechasse os olhos, sua irmã pegou um cordão que ela havia feito a mão e entregou para o mais novo.
—Isso vai te manter protegido todos os dias, espanta pesadelos e coisas ruins, promete usar sempre? —Ela pergunta, o garotinho assente e ela ri, colocando nele e ambos deitam para dormir em seguida.
[...]
—Noona! —O pequeno chamava a sua irmã soluçando, eles estavam de férias no iate da família, o menininho de cabelos negros tinha medo de nadar tão fundo, sua irmã sem pensar nem meia vez foi em direção à ele. —Meu colar caiu, noona!
Sem dizer nada, ela largou o que comia e saltou na água, nadava tão fundo que era invisível aos olhos do mais novo, o tempo passava e nem sinal de sua irmã, até que ele viu um corpo reconhecido boiando de uma forma estranha na água, em desespero e mesmo não sabendo nadar, o menor pulou na água e arrancou forças do além para alcançar o corpo.
—NOONA! —Berrou ele em pânico, se debatia na água sem saber o que fazer, engolindo a mesma, engolindo água salgada e tentando nadar, até que o momento de ficar completamente embaixo d´água, tentando alcançar qualquer coisa que pudesse o fazer sair, acabou agarrando o seu colar, após uns minutos ele já estava desacordado.
“Foi culpa sua!” ”

NOONA! —Acordou num salto, olhando em volta com os olhos arregalados, respirando de forma ofegante, desorientado, quando ele ouviu a chuva caindo começou a se acalmar aos poucos, levantou aos tropeços de sua cama e saiu do quarto, retirando a blusa que vestia e deixando a mesma cair no chão.

Bagunçou seus cabelos enquanto tentava colocar seus pensamentos no lugar, após ir a cozinha e beber um pouco de água, seu sono havia sumido completamente, acabou indo para a sala, sentando-se no sofá e cobrindo-se com uma manta que havia por perto, encolhendo-se e abraçando suas pernas, a manta cobria o seu corpo por completo deixando apenas alguns fios de seu cabelo verde para fora.

Me perdoa... —Sussurrou com os seus olhos fechados, sua voz era falha e quase inaudível, a única coisa audível além da chuva era o seu choro baixo, agradecia por Jae e Chin estarem dormindo, não teria que aguentar ninguém rindo de sua cara por estar se sentindo mal, muito menos o vendo daquela forma, a última coisa que ele queria é que o achassem fraco e era como ele se sentia chorando daquela forma.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 29th Fevereiro 2016, 5:11 pm


Everybody
welcome to my world


S
e pudesse escrever um livro sobre como a vida tinha mudado e estava tudo indo bem, com certeza viraria um beste-saller e ganharia vários filmes. A semana estava bastante corrida por conta dos treinos, mal passava o dia em casa e quando tinha folga usava a mesma para dormir, aquela noite tinha dado o seu melhor, passou o dia todo ensaiando as novas músicas do álbum quase pronto do trio e estava satisfeita com os resultados. Cada um foi embora em tempo diferente e Jae havia sido a última, estava completamente exausta e a única coisa que queria era seu quarto, respirou fundo e se despediu do motorista da empresa, subindo pelo elevador e torcendo para que os meninos estivessem dormindo também.
Ao entrar no apartamento trancou a porta e tomou o rumo do seu quarto, mal fechou a porta apenas tirou o tênis e a roupa e se jogou na cama, cobrindo o corpo com o edredom e fechando os olhos, aos poucos começava a sentir dores por todo o corpo, já que a empolgação estava passando. Reconhecia que havia pegado pesado naquele dia, mas as dores era sinal de um bom resultado e ao acordar tomaria algum remédio. Conseguiu dormir por um longo tempo, mas sentia a garganta seca e isso a incomodava, precisava acordar para tomar água, já que havia esquecido de deixar uma jarra ao lado da cama. Suspirou e levantou, arrastou o corpo até a porta e colocou um roupão por cima, estava com preguiça de colocar roupa. Já era tarde da noite e certamente China e Hyuk estariam no décimo sono, suspirou outra vez e saiu do quarto.
- Aigoo! Que sono. – Sussurrou para si mesma e passou pela sala, sem notar no que estava acontecendo ao redor.
Ao chegar na cozinha tomou sua água e se arrastou de novo em direção ao seu quarto, agora que estava mais acordada arregalou os olhos ao ver um corpo se balançando no sofá. Um grito rompeu de sua garganta e levantou as mãos, começando a engasgar na mesma hora por conta da saliva que engoliu, os olhos se arregalaram e ela abaixou com medo, colocando as mãos na cabeça.
- P-por favor... Não faça nada. – Ao mesmo tempo em que implorava, era possível ouvir a voz de medo e choro.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 1st Março 2016, 1:38 am



House of Cards
Seus soluços saiam mais baixos, ficar segurando os mesmos para não acordar Chin ou Jae, mesmo que não se incomodasse que Chin acordasse, o mais novo pelo menos o confortaria, se encolhia e tremia um pouco segurando para não acabar explodindo ou fazendo alguma merda, sua mente girava perturbado pelo seu passado e a culpa que lhe doía todos os dias.

Um grito o tirou de todos os seus pensamentos, seu susto foi tão grande que até suas lágrimas cessaram, ficou uns segundos com os olhos arregalados embaixo da coberta completamente em choque, só poderia estar realmente ficando louco, soltou um suspiro quando finalmente saiu do seu choque quando tudo novamente ficou silencioso.

“ P-por favor... Não faça nada.”

Foi então que tudo começou a realmente fazer sentido, retirou a manta de seu corpo e secou o seu rosto, olhando para onde vinha a voz de Jae, revirou os olhos quando viu a mesma no chão com as mãos na cabeça, implorando para ele não fazer nada, sua voz de choro e pânico, ela pensava que ele era o que? O mostro que saiu de baixo da cama dela pra assustar no meio da noite?

Está parecendo uma retardada, levanta daí... Aish por que tão barulhenta?—Diz se levantando de onde estava e foi até ela, passou a mão pelos cabelos dela arrumando os fios para que eles não caíssem em seu rosto, suspirou de novo, mas conseguiu sorrir um pouco ao sentir os fios dos cabelos dela enrolando em seu dedo, mas logo afastou a mão. —Não grita assim, Chin vai pensar que eu estou te matando. —Brinca baixinho, mesmo que não conseguisse sorrir ou rir, seus olhos estavam inchados e tinha marca das lágrimas secas em seu rosto, sua voz estava um tanto mais rouca que o normal. —Por que está acordada essa hora? Deveria estar descansando.

Naquele momento estava se sentindo um pai chato, mesmo que não se importasse que ela estivesse acordada, só não queria que ela reparasse o que estava acontecendo ali antes de chegar, Jae com certeza era a última pessoa que ele queria que o visse naquele estado, não tinha muita paciência para aqueles dramas que a garota fazia, mesmo que fosse um tanto bobo e engraçado.

Vem... —Disse se levantando e estendendo a mão para ela, com a mão livre coçou o seu peito e acabou lembrando que estava sem camisa, tudo parecia cooperar com o momento, já aguardava um novo escândalo sobre aquilo. —E sem escândalo, não é hora pra isso. —Diz num tom muito mais calmo do que normalmente usava, fez um bico enquanto olhava para ela, aguardando o possível tapa ou coisa do tipo.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 14th Março 2016, 6:08 pm


Everybody
welcome to my world


O
 corpo não cessava um segundo sequer, a tremedeira que passava por todo seu ser lhe dava a impressão que a qualquer momento iria ter um treco. Ouviu-se um silêncio grande e logo pôde escutar uma voz conhecida, as bochechas queimaram de vergonha, abriu os olhos e olhou para o lado, ainda escondendo o rosto por conta da vergonha que tomava lugar e deixava o medo ir embora, mesmo assim ainda tremia e sentia seu coração saltitar. Não que acreditasse em fantasmas ou coisa parecida, mas na hora nem pensou em suas crenças ou não, apenas sentiu medo e agora que sabia que o malfeitor era Hyuk, a vergonha e humilhação lhe deixava paralisada.
- Aigoo! O que eu fiz? – Sussurrou para si mesma, fechando os olhos e imaginando que tudo podia ser apenas um pesadelo.
Arrepiou-se por inteira ao sentir o toque em seu cabelo, sentiu cócegas e aquilo lhe fez sorrir, nunca havia sentido algo assim antes e muito menos alguém usou algum tipo de carinho para lhe amparar. Mas, espantou qualquer devaneio e ignorou o que ele dizia sobre ser barulhenta, poderia responder aquilo ou simplesmente xingá-lo, só que não conseguia nem abrir a boca. Levantou os olhos e o encarou, a sala estava meio escura, mas os olhos do rapaz estavam inchados, a ponta do nariz vermelho, assim como suas bochechas. Poderia jurar que ele estava ali chorando, e isso faria sentido, era difícil ele estar acordado na madrugada e todo enrolado no cobertor. Hyuk estava chorando por algum motivo.
Arregalou os olhos e fechou as mãos, estava pronta para perguntar, mas havia passado muito tempo ao lado dele e sabia o quanto era reservado e odiava que tocassem em assuntos pessoais. Por mais que o conhecia assim, não sabia nada sobre a família ou o que o fez seguir aquele caminho, não queria brigar porque estava muito tarde, então apenas decidiu mudar de assunto.
- Eu fiquei com sede, estava meio sonolenta e por isso me assustei. Desculpa o escândalo, não queria ter gritado. Fiquei com medo. – Pela primeira vez estava sendo sincera com ele, e estava agindo normal.
Estendeu a mão para segurar a do rapaz, mas parou quando caiu em si e viu que o mesmo só vestia uma calça e nada mais. Abriu a boca várias vezes e fechou, engoliu a seco e recolheu a mão, levantando sozinha. Os joelhos doíam por ter ficado tanto tempo abaixada, mas ignorou e o encarou, tentando focar nos olhos dele e em nada mais.
- A-acho melhor a gente dormir. Está tarde e você deve estar cansado. – Olhou para o lado e mordeu os lábios.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 18th Março 2016, 12:11 am



House of Cards
Começava a se convencer que Jae tinha dupla personalidade ou coisa do gênero, na maioria das vezes eles só brigavam e na frente dos outros fingiam se suportar, Chin tinha sempre que separa-los era uma rotina realmente cansativa, mas lá estava uma garota tímida e que parecia envergonhada.


Com aquilo tudo só conseguia revirar os olhos e fingir que não estava reparando os olhares que ela lançava para o seu corpo de forma nada discreta, não conseguiu segurar a risada que saiu um tanto mais rouca por causa do choro anterior.

Pode olhar, é menos pior do que tentar disfarçar. —Brinca tentando melhorar um pouco o clima que estava ali, mas já estava aguardando pelo tapa, escondia o fato de se sentir incomodado com ela olhando para si, não era do tipo que malhava, ele e Chin costumavam a frequentar mais a academia, mas normalmente não tinham tempo para aquilo, olhou em volta e pegou o cobertor que antes estava se cobrindo e colocou entre os ombros de Jae. —Não estou com sono, acho que já dormi demais...

Diz se afastando um pouco mais e encarando a garota a sua frente, passou a mão pelo seu cabelo bagunçando ainda mais os fios coloridos, ela o encarava de forma que o deixava um tanto sem jeito, como se esperasse alguma coisa, a expressão de Hyuk se tornou um tanto cansada, seus olhos demonstravam todo o cansaço que sentia pelo peso que sempre caía em sua consciência, só duas pessoas provocavam aquilo nele e agora tinha uma terceira, não gostava de parecer fraco como se sentia.

Me desculpe por ter te assustado. —Disse abaixando um pouco a cabeça, mas levantou a mesma em seguida para olhar as reações dela e tentar adivinhar o que poderia estar passando pela cabeça daquela louca, optou por acabar sentando no sofá e pegar o violão que estava encostado ao lado do mesmo, não sabia o motivo por estar se importando com a garota nesses dias que estavam se passando, com certeza estava ficando louco, queria que o dia logo amanhecesse ou que Chin aparecesse por lá, estava precisando de um ombro e Jae com certeza se afastaria se ele tentasse chegar perto dela. —Vai deitar ou ficar me olhando com essa cara de retardada? —Perguntou retirando os olhos do instrumento e voltando a olhar para Jae, mas sorriu de uma forma provocante, começando a tocar baixinho algumas notas calmas, era completamente o contrário do que ele normalmente ouvia ou cantava, mas parou de tocar.

Niga mwo geuri jalnasseo nal gamjeongi eomneun saram chwigeupago?
Tto geuge dangyeonadaneun deut deureo huh neon algin halkka? nado saraminrangeol
Jireumyeon apa, ganjireopimyeon useo.
Hwareul nael juldo algo seulpeumyeon ureo
Yeokyeosseo jinshim deoreopge yeokyeosseo. Dapi isseul ri inna eopji


Se divertia fazendo um rap com tudo o que vinha em sua cabeça, provavelmente ela ficaria confusa ou pensaria que ele estava apenas se exibindo, voltou a olhar para o instrumento em suas mãos se segurando para não acabar jogando-o longe, estava com raiva de toda aquela situação, a convivência, as brigas, os pesadelos e cansaço vinham em conjunto e ele não estava nem mesmo conseguindo entender o que se passava com ele.
 —Você se importa até que ponto? Sinceramente, você deveria ter voltado a dormir... —Disse sem pensar, passando os dedos pelas cordas de aço do instrumento, estava mais frio do que se lembrava, acabou encolhido praticamente escondido atrás do violão tentando impedir que o vento gelado chegasse até ele, ia voltar a tocar para disfarçar o frio e tentar parecer normal, mas acabou arrebentando uma das cordas e a mesma fez um corte raso em seu dedo, fez uma careta e revirou os olhos após suspirar, não se moveu, apenas abaixou a cabeça fazendo com que a mesma se apoiasse no instrumento escondendo o seu rosto, sentindo as lágrimas novamente rolarem pelo seu rosto, já não estava mais se importando em chorar, pois chorava de ódio e raiva, deixando tudo o que estava a tanto tempo preso dentro de si para fora.


_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 18th Março 2016, 1:14 am


Everybody
welcome to my world


E
stava bem confusa naquele momento, encarava o rosto do garoto e o corpo do mesmo, não que tivesse qualquer outra intenção, mas nunca havia de fato reparado como ele podia ser... Bonito. As bochechas aquela altura certamente já estavam coradas e denunciavam qualquer pensamento dela, mas não tinha malícia alguma. Um frio estranho percorria sua espinha, mas não sabia explicar o motivo, só esqueceu isso quando saiu de seus devaneios, ouviu a piadinha de Hyuk e isso a deixou mais vermelha do que antes. 
Desviou o olhar e encarou o chão, mexeu a cabeça negativamente várias vezes e tentava gesticular com as mãos para explicar, mas desistiu e apenas olhou furiosa para o rapaz, revirando os olhos e se afastando um pouco dele.
- Como se isso aí fosse chamar minha atenção, me poupe. - Disse entre os dentes, coçando a bochecha.
Achava engraçado as atitudes dele perante a ela, estava sendo gentil pela primeira vez. Geralmente os dois brigavam e essa gentileza só acontecia na frente de desconhecidos, mas ali estavam sozinhos e ele parecia alguém diferente. Um outro Hyuk que ela não conhecia, mas que parecia interessante. Diferente. 
Segurou com as mãos o cobertor que agora estava em seu ombro, ficou se perguntando se ele não sentiria frio, mas deu de ombros e apenas aceitou. Sabia que algo estava errado, os olhos dele carregavam uma melancolia jamais vista antes por ela, uma tristeza que mesmo que tentasse disfarçar estava evidente em sua face. Parecia cansado, parecia querer desistir de tudo e isso de certa forma preocupava a menina, não sabia o porquê, mas queria consolá-lo, mas não poderia fazer ou ele a chamaria de louca.
A sinceridade dele assustava, isso não acontecia sempre e ainda mais na frente de Jae, mas decidiu aceitar as desculpas e abaixar um pouco a guarda. Não era hora e nem momento de ser a irritante de sempre.
- Está tudo bem, no fundo nem teve culpa. Desculpa ter gritado, eu estava sonolenta. - Sussurrou e caminhou para o outro sofá, sentando de frente para o rapaz.
Queria saber o real motivo para ambos estarem agindo diferente do que sempre agiam, talvez fosse o sono ou a tensão que mesmo pequena estava no ar. A menina o encarava com ternura e doçura, estava confusa, mas sentia uma compaixão pelo mesmo, não queria perturbá-lo, queria apenas ficar ali para não deixá-lo só. Mas, a bipolaridade dele assustava qualquer um, ergueu uma das sobrancelhas e tentou entender a piada, ignorando e ouvindo a melodia que saia do violão que o mesmo segurava.
A música era diferente do que já havia escutado antes, certamente Hyuk escreveu em uma dessas noites que havia passado em claro, mas era bonita e dizia muita coisa, mas dizia para quem?
Jae abraçou o próprio corpo e ficou curtindo o rap, mas não durou muito e novamente ficou confusa. A mudança constante de humor do rapaz a deixava assim, o que de tão grave estava acontecendo para agir daquela maneira? O olhou alguns segundos quando ouviu sua pergunta e apenas ficou parada, tentando raciocinar e bolar alguma resposta, mas não conseguiu, simplesmente palavra nenhuma saia de seus lábios. Não era a melhor pessoa para consolar alguém ou dar conselhos, portanto, esperou até que alguma ideia surgisse em sua mente. Observou cada ação desesperadora dele e esperou.
Sua preocupação de fato apareceu quando viu que o menino de cabelo colorido havia se machucado, sem pensar levantou e foi até a cozinha, quando voltou sentou ao seu lado e viu lágrimas caindo. Arregalou os olhos e se perguntou o quanto devia se meter, e ignorando a própria razão apenas segurou o dedo machucado e colocou um curativo que havia pego na cozinha. 
- Até que ponto você liga? - Sussurrou, ainda segurando mão dele. Com a outra mão livre bagunçou os cabelos dele. - Até que ponto, Hyuk?
Levantou uma das mãos e sem dizer nada apenas enxugou as lágrimas dele e se afastou, voltando para o lugar em que estava antes e lançando o olhar para janela.




Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 19th Março 2016, 12:13 am



House of Cards
Praguejava mentalmente furioso com si mesmo, não se importava com o machucado que havia feito, nem com a corda do violão partida, olhava para a pouca quantidade de sangue que escorria pelo seu dedo indicador, sua respiração era pesada, chegava a pensar se era realmente o alfa que pensava que era e o quão ruim ele era para as pessoas a sua volta e Jae era uma delas, pensava no modo em que sua irmã acharia daquilo, provavelmente que ele era a pessoa que a garota a sua frente tanto dizia que era.

Ao ouvir a mesma se afastar foi como se parte de seu peso fosse junto com ela, deu um salto onde estava ao sentir o seu dedo machucado sendo puxado, ia puxar o mesmo, mas o fato da garota estar o ajudando sem o xingar deixava tudo muito estranho, era como se fosse literalmente uma pessoa diferente da que ele conhecia, provavelmente era a Jae que todos conheciam, menos ele.

Fez uma careta quando ela perguntou as coisas para ele e bagunçou seus cabelos, um bico se formou em sua boca, era como o de uma criança mimada claramente emburrada, virou o rosto quando sentiu os dedos no mesmo secando suas lágrimas que paravam aos poucos de aparecer, ele não fazia a mínima ideia do que ela estava se referido, mas todos sabiam que Hyuk era uma pessoa que não se preocupava com nada além do que era de seu interesse, deixou o violão de lado e ficou de cabeça baixa por um longo tempo, pensando em alguma coisa para responder, a viu novamente sentada a sua frente e ficou de joelhos na frente dela, a abraçando forte, sentindo o cheiro doce de seu shampoo em seus cabelos curtos, Jae era tão pequena que ele a cobria por completo.

Foi tudo culpa minha... —Sussurrou próximo ao ouvido dela, se recusou a se afastar por alguns segundos, mas depois se tocou do que estava acontecendo se afastou de forma um tanto grosseira, se jogando pra trás e piscando algumas vezes. —Estou com sede... Quer beber alguma coisa? —Pergunta se levantando e cambaleando um pouco, sabia que havia falado demais e que uma hora Jae iria perguntar alguma coisa e que a pessoa sorteada para responder seria Chin, conhecia o mais novo bem o suficiente para saber que ele iria responder as perguntas dela.

A única coisa que separava a cozinha da sala era uma bancada de pedra, pegou um copo de água para ele e um para ela, assim que voltou se sentou no sofá e entregou o copo para Jae, batendo com a mão livre ao seu lado para ela se sentar.

Pode esquecer o que aconteceu? —Pede sem olhar para ela, bebeu um gole do líquido para disfarçar e dar uma desculpa para não olhar, Jae fazia seus pensamentos ficarem confusos e tinha medo do que ela poderia fazer, sempre dava um jeito de o surpreender, Hyuk era orgulhoso demais e aquilo normalmente o afastava das pessoas a sua volta, sabia que não estava sendo diferente daquela vez.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 19th Março 2016, 1:54 am


Everybody
welcome to my world


O
 coração batia de uma forma estranha e desregular, não costumava sentir coisas assim e ainda mais por alguém tão idiota como o Hyuk era, talvez a pena estivesse ultrapassando limites de sentimentos e fazia com que sentisse algo diferente. Deu de ombros sobre tudo aquilo e assustou-se quando pôde sentir o corpo dele dele sobre o seu, arregalou os olhos e o encarou ali, estava tão indefeso e tão triste. Ouviu as palavras que ecoavam em sua cabeça e o abraçou com força, dando um beijo no topo da sua cabeça, queria poder tirar aquele peso dele, mesmo que não soubesse o que de fato havia acontecido.
Sentiu o próprio corpo sendo empurrado para trás e bater nas costas do sofá, inclinou a cabeça para o lado e mordeu o lábio inferior, arqueando uma sobrancelha e tentando entender o que tinha acabado de rolar ali. Uma hora ele era alguém, em outra hora era o Hyuk chato de sempre. Balançou a cabeça negativamente e arrumou o cabelo, olhando-o se levantar e afastar.
- Aigoo!! – Sussurrou para si mesma e também levantou, indo em direção a cozinha, mas ele tinha sido mais rápido e já estava voltando com a água, por fim decidiu sentar ao lado dele.
Pegou o copo e agradeceu com a cabeça, deu um gole e suspirou, ficou observando a água por uns segundos, queria poder dizer algo, mas não sabia se seria o certo, mas já que a noite havia começado de forma estranha, então decidiu que iria conversar um pouco mais com ele. Abriu a boca para poder dizer algo, mas o mais velho havia sido mais rápido, revirou os olhos e bebeu um pouco mais de água, esperou ficar silêncio novamente e respirou fundo para tomar coragem.
- Não, mesmo se eu quisesse. Sou muito orgulhosa para fazer isso. – Umedeceu os lábios e prosseguiu. – Não sei o que aconteceu em sua vida e não irei perguntar, porque é algo pessoal eu. – Mesmo que fosse perguntar ao China com certeza, faria isso mais tarde.
Esperou alguma reação dele, mas notou que não teria nenhuma e isso era bom, ao menos poderia continuar falando e assim o fez.
- Mas, eu o vi chorar e não posso ignorar como se eu fosse sem coração. Eu não sou tão ruim quanto pensa, e eu... Me importo. – Disse baixinho. – Mais do que imagina. Eu gosto de você, Hyuk. – Novamente o silêncio fez-se presente e foi então que notou o que disse, engasgou com a água e começou a tossir, balançou as mãos freneticamente e quanto conseguiu se recuperar, voltou a falar rapidamente. – D-d-digo... Como amigo, um amigo.
Tomou o restante da água que tinha em seu copo e colocou as mãos nas bochechas, fechando os olhos com força e se amaldiçoando por dentro, do jeito que o rapaz era, iria achar que ela estava gostando dele muito mais que um amigo e talvez não era isso. Nem Jae sabia o que era.
- Vamos tomar Soju, isso espanta os problemas e eu estou sem sono também, o que acha? – Nem esperou resposta, já levantou e foi até a cozinha pegar a bebida.




Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 19th Março 2016, 2:27 am



House of Cards
Parecia que as coisas estavam novamente como elas normalmente eram, não conseguiu se surpreender com a resposta de Jae, era tão típico dela que já tinha até mesmo se acostumado, no começo isso poderia ter o deixado com raiva, mas naquele momento apenas deu de ombros e voltou a beber o resto de água que ainda tinha no seu copo, era incrível como ela conseguia falar tanto em tão pouco tempo, riu quando ela disse que não iria perguntar para ele, mas faria um questionário gigantesco pra Chin depois, mas não se preocupava com aquilo, não importava para ele se ela iria deixar de lado ou não, pois ele iria fingir que nada tinha acontecido.

Tudo corria como sempre acontecia, um monte de palavras jogadas fora quando uma frase saiu completamente do contexto, ele se engasgou com a água que bebia quando ela disse que gostava dele, seus olhos se arregalaram e ficou sem saber o que dizer, até que Jae também se engasgou e se apressou em dizer que não era da forma que ele pensava que tinha sido.

Acho que você realmente está precisando voltar pra sua cama... —Disse se levantando e pronto para agir, quando ela lhe pergunta se queria tomar Soju, ele não estava com a mínima vontade de beber, mas a garota realmente estava fora de si e sabia que alguém ou algo teria que fazê-la apagar de alguma forma, por que não beber até capotar? Riu com aquele pensamento, aguardou ela retornar com a bebida e pegou a garrafa verde gelada e fez uma careta, apenas observando a garota e seus movimentos, sem nem mesmo abrir a garrafa em suas mãos. —Você normalmente não bebe tanto liquido de uma vez, está tudo bem? —Pergunta de uma forma que demonstrava todo o seu tédio momentâneo, sabia que aquilo de alguma forma não iria acabar bem. —Aish... Você um dia ainda vai acabar me matando...

Bufou enquanto via a garota a sua frente, não sabia de fato o que havia acontecido momentos antes daquilo, mas ela parecia mexida com alguma coisa, Jae sempre dava o seu jeito de deixar Hyuk completamente louco, talvez o sono ou ela realmente estava muito perturbada, nunca havia bebido com ela e não sabia se a garota estava acostumada a beber, então abriu a sua garrafa de soju e bebeu um gole.

Não tente perguntar nada pro Chin, tenho certeza que iria sobrar pra mim depois, sempre sobra. —O seu tom de voz ia baixando, a única parte que realmente estava falando com ela era o início da frase, o resto estava apenas pensando alto. —Desde quando você bebe essas coisas? Não quero ter que ficar aturando gente de ressaca durante o ensaio.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 19th Março 2016, 10:11 pm


Everybody
welcome to my world


I
gnorou a ideia de voltar a dormir, era tarde da noite e o sono tinha ido embora desde o susto, e por mais que o garoto fosse estranho e lhe causasse ódio, gostava de poder conversar com alguém. Desde que mudou não tinha com quem falar, Solo pouco se encontrava com ela, já que estava ocupada com os dramas, e seus pais davam o mesmo conselho e não gostava muito de lhes preocupar, restou desabafar com a pessoa que mais odiava. Hyuk.
Pegou duas garrafas de Soju e voltou para a sala, entregou uma para o rapaz e sentou novamente, abrindo e dando um gole longo. Parou por alguns instantes e pensou no salto que sua vida tinha dado, desde o início do Improve e até então, nunca havia de fato parado para analisar o salto que havia dado até ali. Passava a maior parte sozinha, mesmo que tivesse os garotos, sabia o quanto Hyuk odiava conversar com ela ou simplesmente a ignorava a maior parte do tempo, só conversava para dar oi e nada além disso. Sentia-se só e triste algumas vezes e até mesmo chorava escondida em seu quarto para que ninguém a escutasse, estava realizando seu sonho, mas não tinha imaginado que seria tão duro e complicado. Estaria sozinha para sempre nesse sentido, mas não ter amigos com quem se divertir era difícil também.
Saiu de seus delírios quando ouviu a voz distante do rapaz, o encarou por algum tempo e deu outro gole longo na bebida. Deu de ombros para a pergunta e continuou bebendo, fazia isso sempre, aliás, quase sempre. Não gostava de beber ou ficar bêbada, mas as vezes era necessário para esquecer algumas coisas. Jae podia sentir seu coração pequeno, perturbado por alguma razão, só não sabia o motivo. Hyuk lhe enlouquecia a maior parte do tempo, o odiava e lhe xingava mentalmente todos os dias quando possível, as vezes desejava nunca o ter conhecido, no outro desejava simplesmente sumir e largar tudo.
- Complicado, muito complicado. – Disse para si mesma e voltou a beber.
Àquela altura já devia estar no fim do Soju, não contou quantos goles estava dando, mas podia sentir as coisas girando lentamente a sua volta, aquilo era legal, a sensação de poder ver as coisas se mexendo, o corpo começava a ficar quente e isso só a deixava mais animada. Uns minutos depois viu que já não tinha nenhum gole na garrafa e levantou para pegar outro, atentou em ouvir as coisas que Hyuk dizia e apenas concordava, mas suas bochechas queimaram de raiva quando ouviu a parte da ressaca, só que estava tão extasiada que não quis responder e apenas voltou para o seu lugar. Ao abrir a segunda garrafa, deu outro gole longo e outro em seguida, soltou um “ah” no fim e fechou os olhos, suspirando baixo.
- Muitas vezes me senti sozinha, não só aqui, mas na vida. Na época em que minha vó estava doente só uma coisa me alegrava. – Abriu os olhos e olhou para o rapaz de cabelos coloridos, sorriu por fim. – Quando estava nos meus quinze anos tive o meu primeiro amor, um rapaz que estampava a capa de uma revista, isso me mantinha forte nos tempos complicados. Minha mãe que tinha me dado a revista e mesmo que fosse só em um papel, aquele sorriso.... Eu nunca mais vou esquecer aquele sorriso. – Encostou a cabeça no sofá e dessa vez direcionou os olhos para o teto.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 19th Março 2016, 11:05 pm



House of Cards
Observava atentamente os movimentos dela e também suas reações, sentindo uma preocupação que crescia aos poucos, não era normal ela o ignorar e odiava aquilo, podia ser egoísta, mas ele era egoísta e todo aquele silêncio estava perturbador, deixou sua garrafa de soju de lado, não sentia vontade de beber e muito menos depois de ver a garota bebendo naquela velocidade desesperada para ficar completamente a mercê do álcool, abriu a boca para falar com ela, mas fechou a mesma ao ouvir Jae começar a falar, soltou um suspiro fundo e decidiu dar a atenção para as palavras que ela dizia.

Jae parecia tão angustiada quanto ele, nunca passou pela sua cabeça que ela disse chata daquele jeito sem um motivo, provavelmente estava apenas procurando por um ombro, algo para a apoiar, todos precisavam de alguém assim, Hyuk poderia dizer que tinha Chin para o apoiar e ele apoiava o mais novo, não tinha pensado que ela se sentia sozinha, afinal, eles passavam a maior parte do tempo juntos, mesmo que quisesse vez ou outra conversar com ela, a mesma havia lhe dito que não queria nenhum tipo de contato com ele e desde então respeitava aquilo, Hyuk poderia perturbar os mais novos às vezes, mas respeitava o espaço deles.

Não sabia nada sobre a vida de Jae além de que ela morava com os pais e provavelmente estaria destinada á cuidar do restaurante de sua família caso não conseguisse seguir o seu sonho, era engraçado como eles não eram diferentes nessas coisas, mas não sabia nada sobre a avó que a garota citou, provavelmente ela era importante e talvez teria a ajudado muito em tempos difíceis.

Tudo parecia apenas que ela estava contando sobre o como sua vida até ruim e solitária, até que ela o surpreendeu quando falou sobre um cara de uma revista, seu primeiro amor e aquele que parecia se prevalecer com um carinho, gostava do fato de idols e atores muitas vezes salvarem a vida de pessoas, sendo com a música ou com seu ‘eu’, sorriu um pouco quando ela terminou de falar.

Pegou a garrafa da mão dela e deixou na mesa de centro ao lado deles, se aproximou um pouco dela e segurou de leve no rosto dela, fazendo ela olhar diretamente para seus olhos, com a mão livre ele e segurava pelo ombro lhe dando um pouco de apoio, soltou o rosto dela e afastou os fios rebeldes que cobriam um pouco o rosto dela.

Eu não sei se você vai lembrar disso depois, mas... —Riu baixo, não fazia a mínima ideia porque ia tentar falar sério com uma bêbada. —Você não está sozinha, eu e Chin estamos todos os dias com você e passamos muito tempo juntos, provavelmente vamos passar muito tempo ainda juntos e eu quero que você saiba que somos uma família agora, eu e ele vamos te ouvir e te proteger, não tem pra que se sentir dessa forma. —Disse olhando nos olhos dela e acariciando de leve a bochecha dela. —Posso ser implicante com você, mas me importo e não quero te ver assim por causa de angústia. —Riu. —Depois que debutarmos você pode encontrar esse cara, vai que role alguma coisa.

Terminou e revirou os cabelos curtos dela, mais decorados do que já estavam e pegou novamente o cobertor que estava ao lado dele e jogou mas costas dela, a cobrindo novamente e virou para a janela, perdido em seus próprios pensamentos.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 19th Março 2016, 11:29 pm


Everybody
welcome to my world


A
briu os olhos quando sentiu o toque quente dele em seu rosto, estavam tão próximos que era impossível desviar o olhar, e aqueles olhos eram tão lindos e diferentes, dessa vez carregavam doçura e por um segundo não quis estar em outro lugar, quis estar ali. A maneira que ele ia falando com ela, não desviava sua atenção em nenhum momento, sabia que não estava em si, mas lembraria disso com total clareza. Jae estava presenciando um lado novo de Hyuk e isso a deixava feliz, era raro vê-lo daquela forma e desejou ver isso mais vezes, com certeza fingiriam esquecer isso no outro dia, mas aproveitaria o lado doce do rapaz.
Sorriu de lado, um sorriso torto que mostrava as covinhas que a garota tinha em suas bochechas, algo que raramente ela mostrava. A medida que ia ouvindo, concordava com tudo o que dizia e guardou aquelas palavras em seu coração, quando o menino parou, apenas segurou sua mão e ficou por uns segundos em silêncio, mas não era constrangedor para ela, era bom e gostava. Estava totalmente confusa, não sabia o que estava acontecendo, mas um frio estranho passava por sua espinha. A noite estava ficando muito, muito estranha.
- Por um minuto, por hoje, fica perto de mim. – A casa toda girava e isso indicava que já estava ficando bêbada. – Sabe, aquele menino era tão lindo, acho que faz parte de uma família rica, seus pais são donos de empresas importantes na Coréia, jamais iria encontra-lo. – Umedeceu os lábios. – Acho que na revista dizia que ele tinha uma irmã também, mas não sei mais nada. Hoje em dia só sobrou a capa da revista comigo. Queria encontra-lo.
Soltou a mão dele e levantou, colocou as mãos na cintura e andou de um lado para o outro, estava pensando. E se o encontrasse diria o quê? Se relacionou muitas vezes na vida, mas nada que fosse comparado com algo sério, era complicada demais e acabava os relacionamentos brigando. Talvez no fundo o problema fosse ela.
Parou e olhou para Hyuk, apontando o dedo para ele e fazendo um pequeno bico, inflando as bochechas e voltando a andar de um lado para o outro, um pouco devagar já que tudo ainda girava.
- Mas, o que um rapaz rico ia querer comigo? Ele nem sabe que existo. – Por fim sentou e cruzou os braços emburrada. – Ele é um sonho e só, mas eu posso dizer que o conheço. Naquela capa ele não parecia contenta com tanta gente o rodeando, ele tinha os olhos tão marcantes. Além de ser um pouquinho vesgo. – Disse isso mais para si mesma do que para ele.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 20th Março 2016, 12:51 am



House of Cards
Sentiu a mão dela na sua e apertou a mesma de leve, pelo menos ela não sairia dando a louca pela casa enquanto estivessem daquela forma, mas era engraçado o fato de todas as coisas legais que ele havia dito, ela continuava pensando no garoto da revista, aquela era a única coisa que importava para ela? Riu com aquele pensamento, não conseguia entender o encanto dela, mas pelo menos aquilo o divertia um pouco no meio de toda aquela noite doida, aproveitou para abraça-la de lado, não de uma forma romântica, mas de uma forma protetora.

Ela descrevia o rapaz de uma maneira sonhadora, como se ele fosse literalmente o seu super-herói, poderia dizer que sentia uma pontinha de inveja dele, gostaria que alguma garota falasse dele daquela forma, era engraçado que Jae disse bastante coisa sobre ele, menos o nome, como alguém lia sobre a pessoa em uma revista, se apaixona por ela e nem mesmo sabe o nome? Hyuk sempre foi obrigado a conviver com os “amigos” da mãe dele, provavelmente deveria conhecer o cara dos sonhos de Jae, foi desclassificando as pessoas de acordo as informações.

Quando ela terminou de contar, riu baixo e iria perguntar se poderia ver a capa da revista, mas do nada a garota saiu de seus braços e também soltou sua mão, se levantando e colocando as mãos na cintura de forma cômica, mordeu seus lábios quando ela começou a andar de um lado para o outro como se fosse literalmente uma doida.

Andar desse jeito não vai te fazer pensar, vai te fazer cair. —Disse pronto para puxa-la, mas a garota parou e apontou para ele parecendo furiosa por um momento em seguida voltou a andar de um lado para o outro, ficou sem entender aquilo, Hyuk apenas conseguiu ficar parado olhando para ela com os olhos arregalados, ela era realmente mais doida do que o normal bêbada daquele jeito.

Riu da forma infantil que ela voltou a se sentar ao seu lado emburrada com os braços cruzados, voltou a cobri-la e revirou os olhos, por que tanto insistia em falar de uma revista? Ninguém era verdadeiro naquelas coisas, principalmente quem estava sendo entrevistado, foi quando realmente parou para pensar no que Jae dizia e juntou as peças, por um momento pensou que ela estava falando dele, mas aquilo era impossível.

Se você me mostrar a capa da revista, posso saber quem é e até mesmo te ajudar a encontrar com ele, o que acha? —Pergunta, ele não costumava a ser um bom amigo para Jae e reconhecia aquilo, talvez a ajudando com o garoto pagaria todas as suas possíveis dividas ou só fazer com que ela pare de falar dele, se sentia extremamente incomodado com tudo aquilo, não queria a ver com quem ele não aprovasse.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 20th Março 2016, 1:04 am


Everybody
welcome to my world


E
ra bom poder estar abraçada com alguém, sentia a forma protetora de Hyuk com ele há muito tempo não tinha isso, somente seus pais e sua avó se preocupava com seu bem-estar, tinha a Solo também, mas era diferente e podia sentir como naquele instante o garoto se importava com o que ela pensava. Deitou a cabeça no ombro dele e ficou raciocinando por alguns segundos, por fim achou que mostrar o garoto para ele seria uma boa, não sabia o nome do mesmo e como Hyuk era daquele meio, saberia melhor do que ela. E uma pontinha de esperança de encontrar seu primeiro amor, surgiu bem lá no fundo da sua alma.
- Vem comigo! – Puxou o menino pela mão e foi andando devagar até o próprio quarto.
Jae era bastante organizada com suas coisas, o cômodo mostrava muito bem isso, era tudo muito arrumado e a sua cara, o quarto era bastante amplo e tinha tons rosados como o cabelo dela, nada estava fora do lugar, a não ser a cama que horas antes ela estava deitada.
Soltou a mão dele e foi direto ao seu guarda-roupa e começou a mexer nas gavetas, revirava coisas aqui e ali, hora ou outra cambaleava, mas ignorava isso e continuava a procurar. Não mexia naquelas coisas há um bom tempo e finalmente encontrou uma caixinha que tinha suas coisas de adolescente guardadas. Sentou no chão e abriu a caixa, remexeu mais um pouco e achou a capa, sorriu e olhou com atenção, havia esquecido como era o garoto.
- Achei! – Ao olhar direito piscou várias vezes e abriu um pouco a boca, olhou para Hyuk e para a foto e ali ficou. Não conseguia se mexer e a única coisa que saia de seus lábios era uma simples frase. – Não acredito.
Aproximou o papel do peito e abraçou, olhando assustada para o menino a sua frente e balançando a cabeça muitas vezes. O menino que era apaixonada então era o seu parceiro de palco?



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 20th Março 2016, 2:50 am



House of Cards
Ficaram alguns segundos em silencio, abaixou um pouco o rosto para ver Jae e ela parecia estar pensando seriamente sobre a proposta de Hyuk, mesmo que para ele não tivesse nada para que pensar, apenas queria que ela relaxasse um pouco, parecia que iria explodir a qualquer segundo, sentiu uma sensação boa de conforto quando ela deitou a cabeça em seu ombro, acabou encostando sua bochecha de leve no alto da cabeça dela, estava um tanto confuso sobre tudo o que estava acontecendo, não estava mais acompanhando o ritmo daquela noite maluca.

Voltou para a terra com a garota o puxando pela casa, sem dizer nada, a seguiu para o quarto dela, nunca entrou naquele quarto depois que ela tomou posse dele e fez uma reforma, antes era um cômodo vazio, se surpreendeu quando entrou e deu de cara com um ambiente cor de rosa, imaginava que Jae era bruta demais pra usar rosa no quarto, mas achou tudo fofo por estar organizado, suspirou quando ela soltou sua mão e começou a revirar seu guarda-roupa.

Enquanto isso sentou-se na ponta da cama dela a observando atentamente, se perguntava o que aconteceria se conseguissem contato com o tal garoto e ele decepcionasse Jae, não sabia do que seria capaz de fazer se a visse mal, sabia que se ele fizesse alguma coisa acabaria brigando com seus parceiros, mas ChinChin e Jae sempre estavam contra as ideias de Hyuk quando se tratavam de coisas além da Improve.

Estralou a boca em meio a aquele pensamento, diversas coisas se passavam pela sua cabeça, deu um salto quando a garota disse que tinha encontrado, estava realmente curioso para saber de quem se tratava, sorriu e se levantou para pegar a revista, estendendo a mão, mas franziu a testa quando ela pareceu surpresa com alguma coisa.

O que? —Pergunta dando passos largos na direção dela, Jae parecia aterrorizada e abraçava a revista com força, coçou a nuca e tentou olhar para a foto da capa, mas era completamente tampada. —Eu não vou poder ver a cara de ninguém se você não me mostrar. —Continha o sorriso provocante, pegou a ponta da revista que ela não abraçava e puxou com cuidado para não rasgar, era engraçado como aquela revista parecia antiga, mesmo sendo de poucos anos atrás. —Aish... Vai me dizer que o garoto é o China? —Disse puxando com um tanto mais de brutalidade, conseguindo retirar das mãos dela e olhou para a capa um tanto ansioso, mas o seus olhos se arregalaram quando olhou para a capa, assim como o seu coração pareceu parar e as palavras desaparecerem de sua boca.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 20th Março 2016, 4:40 pm


Everybody
welcome to my world


M
esmo que tentasse segurar o papel, Hyuk era muito mais forte que a mulher e hora ou outra ele conseguiria pegar de suas mãos, se não tivesse tão espantada iria rir com a parte do ChinChin, mas não conseguiu e o pior aconteceu. Levantou os olhos em direção a ele e sentiu medo, tudo passou como um flash em sua mente, todas as coisas que disse naquela noite sobre o suposto primeiro amor e as coisas que pensou sobre ele quando tinha seus quinze anos, tudo foi tão rápido e não sabia o que fazer, o que falar. Só queria que um buraco se abrisse e ela pudesse se enfiar lá.
- Não, não pode ser. – Sussurrou para si mesma, olhou para o chão e fechou os olhos com força, colocando as mãos na cabeça. – Esquece, por favor, esquece isso.
Levantou com pressa e cambaleou, tudo girou em volta e tropeçou, quase caindo, mas conseguiu se equilibrar. Respirou fundo e evitou olhar para Hyuk, estava envergonhada demais para isso e só queria sumir, não sabia o que podia falar, minutos antes havia confessado todo o sentimento que tinha por ele e agora isso perturbava a sua cabeça. Arrumou a mecha do cabelo diante dos seus olhos e caminhou até sua cama, sentando na ponta.
- Esqueça isso, por favor. É passado e foi coisa de menina. – Sorriu sem graça. – Amor de adolescente, sabe? Aquele platônico e tudo mais. Não leve a sério, devo estar bêbada.
Mexeu as mãos fazendo sinal negativo, riu baixinho porque estava totalmente envergonhada. Pela primeira vez estava sem ação na frente do rapaz. As coisas haviam saído do controle, do seu controle. Confessou um amor que nem sabia que tinha, estava ficando louca, só podia ser. As coisas começavam talvez a fazer sentido, o ódio, as brigas, era por gostar e querê-lo por perto? Ou porque não gostava de estar ao lado dele? Não sabia, não naquela hora. Abaixou a cabeça e encostou em suas mãos, suspirando alto e com vergonha total de olhar para ele. Só queria sumir, desistir, desaparecer daquele lugar.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 21st Março 2016, 12:35 am



House of Cards
Não conseguia nem mesmo pensar sobre aquilo, muitas coisas se passavam pela sua cabeça, principalmente sobre o que sua mãe já havia lhe dito, coisas que aconteceram durante toda a sua vida e pessoas que frequentaram a mesma além de Chin e seus familiares, olhou para a capa da revista novamente e ficou encarando sua própria foto na mesma, deveria ter seus dezesseis anos, vários dos traços de seu rosto haviam mudado com o tempo, parecia mais maduro, olhava para seus cabelos negros bagunçados de propósito para a foto, não sabia se Jae sabia ou não que era ele, mas não tirava a razão, ele parecia diferente.

Ouviu a mesma falando com ele novamente, depois de seu choque passar um pouco conseguiu prestar a atenção um pouco melhor no que acontecia, viu a menina cambaleando e quase caindo, deu alguns passos para frente para ajudá-la, mas não foi necessário e se afastou de novo, apenas conseguia prestar a atenção nas reações dela preocupado, não conseguia pensar direito sobre aquilo.

Jae se desculpava sobre o ocorrido, parecia decepcionada e completamente envergonhada, Hyuk nem mesmo conseguia pensar sobre o que pensar daquilo tudo, estava confuso demais, se agachou para poder olhar para o rosto dela e fez uma careta ao ver ela completamente com vergonha, soltou um suspiro.

Realmente, você está completamente bêbada. —Concorda, talvez aquilo a convencesse a ficar com menos vergonha ou relaxar um pouco, sorriu um pouco para passar confiança e arrumou os cabelos dela novamente. —Acho melhor você deitar um pouco, está tarde, arrumo essa bagunça. —Disse se virando e pegando as coisas que estavam no chão do quarto espalhados e colocando nos seus devidos lugares do guarda-roupa, enquanto tentava colocar seus pensamentos no lugar.

Quando pegou a foto novamente, ficou olhando para a mesma e depois direcionou seu olhar para Jae novamente, coisas absurdas passavam pela sua cabeça, coisas como a menina estar no karaokê naquele dia apenas porque ele estaria lá e coisas do gênero, nada mais fazia sentido, era como se suas memórias com a garota fosse provavelmente uma armação para chamar a sua atenção, já outra parte de si acreditava que a mesma jamais faria aquilo.

Você quer que eu traga alguma coisa? —Pergunta não olhando para ela, estava preocupado, mas também não conseguia encara-la, a sua expressão era fria, ignorava a sua vontade doida de acordar Chin ou quebrar alguma coisa, abaixou a cabeça por um momento e dobrou o papel em sua mão e guardou no bolso da sua calça, aquela noite realmente estava sendo estranha demais e torcia muito para ser apenas um sonho.

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 21st Março 2016, 1:12 am


Everybody
welcome to my world


O
bservou com atenção toda e qualquer atitude dele, não se mexeu quando o mesmo arrumou seu cabelo ou sugeriu que ela deitasse para descansar. Na verdade, naquela altura o efeito do álcool já havia passado e ela estava mais sã do que nunca e isso era bastante assustador, seu olhar estava perdido, mas não era por estar decepcionada e sim por estar surpresa. Desde o dia em que conheceu o menino no karaokê, ele havia sido detestável com Jae e vice-versa, e naquela noite tinha abaixado todos os muros para poder ser agradável com ele, confessou coisas que não diria em dias normais e talvez isso tenha sido efeito do Hyuk da revista, o menino que tentou se esconder da foto e que lhe encantou na adolescência.
- Eu não sabia disso. Eu nem imaginava que o garoto que fui e sou louca a vida toda seria você. - Confessou, foi um pensamento de voz alta, mas que tinha sido de coração.
Os sentimentos estavam confusos dentro de si, porque o garoto que gostou parecia ser gentil, caloroso e bom com as pessoas. E aquele Hyuk era frio, protetor, mas racional demais e não deixava ninguém se aproximar ou lhe fazer bem, não que tivesse tentado, mas passavam o tempo brigando e nunca conversando de uma forma civilizada. Parecia ser outra pessoa e não queria isso. Os sentimentos batiam, o ódio e a paixão, o amor, aquilo de certa forma era doloroso. Sonhou a vida toda que ao encontrar o esperado garoto da revista, iria dizer tudo, ter algo que nunca teve em relacionamento nenhum, mas não aconteceu nada daquilo. No fim, o garoto que tanto esperou não existia mesmo.
- Que confuso tudo isso, não é? Agora vai ficar vivendo em uma casa com uma menina que é apaixonada por você. - Riu e se jogou na cama, encarando o teto. - Isso vai passar, prometo a você. E não vai atrapalhar ou interferir em nada.
A expressão fria no rosto dele dizia tudo, ele não estava feliz e nem precisava falar nada. Sabia por Chin que o mesmo se encontrava com uma garota após os ensaios e parecia que o relacionamento estava engajando e isso era bom, já que o via sempre só na maior parte do tempo e não queria estragar namoro de ninguém, muito menos o dele. Respirou fundo e inflou as bochechas, pensando na confusão que havia causado. Riu outra vez e continuou ali parada, sentindo aos poucos lágrimas surgirem em seus olhos e não escondeu, ali mesmo chorou e disse bem baixinho para di mesma. Não sabendo se ele escutaria ou não.
- Teria sido uma honra tê-lo encontrado naquela época. - Sorriu de lado e por fim, concluiu. - Sei que está namorando e isso não sairá daqui, tudo bem? Não quero atrapalhar nada e nem contarei ao Chin.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 21st Março 2016, 1:53 am



House of Cards
Como reagir a aquilo tudo? Soltou um suspiro fundo ouvindo a garota tentar se explicando novamente, aquilo o fazia se sentir um monstro como se ele fosse repugna-la por sentir algo que nem ela mesma compreendia, tentou imaginar em como sua irmã lhe diria para reagir a alguma coisa desse tipo, gostava de lidar com os problemas daquela forma, tudo se tornava muito mais fácil para ele, diversas coisas ainda passavam pela sua cabeça, estava de costas para Jae, não conseguia nem imaginar como ela se sentia em relação a aquilo tudo.

Está tudo bem... —Ele disse uma vez em voz baixa após ela dizer que não fazia a mínima ideia que era ele, mordeu o seu lábio inferior, sabia que mais coisa ainda estava por vir e nada passaria fácil, sentia que precisava se afastar de Jae após aquela noite, fazer como sempre fazia e esquecer suas próprias palavras que havia dito naquela noite.

Lembrou-se da época em que Chin também começou a sentir coisas por ele e resolveram tudo com calma, com o tempo o sentimento mudou, agora eles eram como irmãos de sangue e nada mudaria aquilo, mas sentia que com Jae as coisas não seriam tão fáceis, era como se qualquer movimento que Hyuk desse, a garota iria desaparecer por completo, escapar e sumir no mundo, deixando-o apenas com mais uma culpa para pesar em seus ombros.

Deixou ela terminar de falar para se mover, sua expressão continuava séria, aquela situação o deixava angustiado, poderia não parecer, mas ele realmente tinha um coração e o mesmo parecia se apertar a cada segundo que se passava, caminhou até a cama de Jae e sentou-se perto dela, onde ela pudesse ver claramente o seu rosto.

Byul é apenas uma amiga... —Disse dando de ombros, não sabia exatamente onde aquela história de namoro havia saído, mas provavelmente Jae e Chin teriam deduzido a partir dos escapes que Hyuk andava dando após os ensaios, Byul era uma rapper indie e ela dava umas dicas para ele quando precisava, já que a mesma era bem experiente na área indie. —Me desculpe por não ser o cara que você esperava que eu fosse, acredite, eu queria muito ser ele, me parece que era um cara muito melhor do que sou e também me perdoe por ter que te fazer passar por isso... —Disse, suas palavras eram sinceras e era claro isso, virou-se para Jae e secou todas as lágrimas que haviam no rosto dela e sorriu um pouco, pegando a mão da garota e acariciando a mesma com seu polegar. —Não se culpe por isso, eu acho que sei como está se sentindo... Se preferir, posso fingir que não sei de nada e ficará entre nós dois, mas não quero que fique chorando pelos cantos, vai me fazer tomar medidas que eu não gostaria.

Riu na última parte, Hyuk sabia sobre a melhor amiga de Jae, parecia que ela era atriz de dramas bem sucedida, não seria nem um pouco difícil de entrar em contato com ela, começava a formar alguns planos em sua cabeça para fazer com que aquela situação sumisse por completamente.

Obrigado... —Sussurrou mais para si mesmo, estava pensando alto graças a algo que havia passado pela sua cabeça por um momento, inclinou-se e beijou a testa de Jae. —Quer que eu te deixe sozinha?

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Kim Hyun Jae em 21st Março 2016, 1:45 pm


Everybody
welcome to my world


P
ela primeira vez ouviu o nome da garota, não sabia quem era porque marcavam de sair em outros lugares e nem interessava saber, mas o nome era bonito e a mesma deveria ser também. Ouvir aquelas palavras não estava ajudando nada, machucava cada frase que saia dos lábios dele e não tinha noção que Hyuk era um expert em machucar alguém sem intenção, isso a fez rir sem ânimo algum e apenas resolveu ficar calada, ou só iria piorar tudo. Segurou com carinho a mão dele e retribuiu o carinho, mordendo o lábio inferior e deixando um sorriso escapar.
Fechou os olhos e guardou aquele momento consigo, seria uma boa lembrança futuramente. Concordou com a parte de fingir não saber de nada, seria melhor para os dois e pouparia muitos constrangimentos e evitaria o máximo contar para Chin o que tinha rolado ali, ou o mais certamente iria dar risada, mas depois ajudaria. A única pessoa que contaria isso seria Solo, mas demoraria em encontrar a menina novamente, sabia que estava gravando um novo drama e isso tomava muito o tempo dela.
Levantou e ficou de costas para ele, arrumando as últimas coisas que ele tinha deixado para fora, suspirou seguidamente porque isso ajudava a pensar. Abaixou e guardou a caixa no guarda-roupa outra vez, ali mesmo sentou no chão e evitou olhar para trás.
- Pode ir, vamos dormir porque a noite foi longa. E amanhã temos treino, hum? – Não disse mais nada e esperou que o mesmo saísse, assim que o fez levantou e com cuidado fechou a porta e trancou. Encostou a testa na porta e ali mesmo chorou.
Como isso aconteceu? Não deveria nunca ter gostado dele, mesmo que agora não sentisse nada a não ser raiva, raiva de si própria e raiva do que ele era. Alguém que parecia ligar para si no fim das contas, por mais que quisesse ser o protetor do trio, não conseguia expor seus sentimentos, era frio, era como uma pedra. Queria socar a porta, mas acordaria o mais novo e faria o outro voltar, portanto, ficou quieta e limpou as lágrimas. Hyuk estava certo sobre esquecer isso e que tudo iria passar, riria disso futuramente, porque eles eram uma família, irmãos e não tinha nada, nada que pudesse atraí-lo para si e vice-versa.
- Preciso ir embora. – Foi a conclusão que teve, até aquelas coisas irem embora de si. Coisas estranhas voavam em seu estômago, era ruim demais isso.
Iria para a casa de seus pais, mas continuaria no trio, continuaria com seu sonho, agora que estavam próximos do debut as coisas seriam mais fáceis, o estúdio que iam era fora do apartamento e agora só praticavam mesmo a coreografia e tinha entrevistas, o que era incrível para eles e como mal paravam em casa, não iria atrapalhar em nada estar na sua antiga casa. Isso mesmo, essa seria a decisão mais sábia. Sem demora pegou seu celular e ligou para pedir um táxi, ao desligar pegou uma mala e arrumou suas roupas ali e algumas coisas importantes, trocou de roupa e pegou a mala. Havia se passado uma hora desde o acontecido e ele provavelmente estaria dormindo, destrancou a porta com cuidado e sem fazer barulho, em uma mão a mala e no outro seu celular e as chaves. Em passos lentos e silenciosos saiu, deixando a porta do quarto aberta e cruzou a sala, quando saiu do apartamento trancou, e olhou uma última vez para trás. Mandaria uma mensagem avisando ao Chin e certamente ele passaria o recado adiante, suspirou e ao chegar na rua entrou no táxi, indo embora.
- Está livre de mim, Hyuk. – Fechou os olhos e encostou a cabeça no banco, dormindo.



Hello, baby

_________________

Independentes
avatar
Mensagens :
36

Idade :
22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Gung Hyuk Dae em 21st Março 2016, 2:41 pm

-Postagens encerradas- 

_________________

Mad sounds in your ears make you feel alright. They’ll bring you back to life. Mad sounds in your ears
Independentes
avatar
Mensagens :
47

Idade :
24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: House of Cards

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum