[FP] Dong Seo Joon

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Dong Seo Joon

Mensagem por Dong Seo Joon em 11th Fevereiro 2016, 5:55 pm

Dong Seo Joon
When you float on and then you move right through me...Ghost

história
Se existe alguma razão pela qual estou aqui, é para pagar os meus erros. Não deveria ter extrapolado. Na realidade, deveria nem ter posto meus pés lá dentro. O que eles estão fazendo comigo? Ah! Devem ser aplicando o remédio diário. Odeio isso. Bem, não ligue para os berros que irão ouvir, faço isso todo dia. Já deveria ter me acostumado… Como não tenho nada melhor, vou começar me apresentando, ok? Vamos lá.

Chamo-me Seojoon, Dong Seo Joon. Tenho aparentemente 25 Anos e antes de parar nesta clínica, atendia pessoas de diversos tipos. As que lamentavam por chorar muito, as que riam muito até mesmo das desgraças e as do tipo bem peculiar, mas não tão diferente ou famosos, os neutros. Mexia muito com as cabeças das pessoas, de fato minha profissão pediria isso. Ficar sentado com uma prancheta na mão, era só uma escolha. Seria do tipo analista ou algo aproximado disso. Trabalho na área de psicologia então já vemos o motivo de supostamente ter pirado, não? Antes eram consultas tão rápidas, sinto falta do tempo das pessoas que os problemas que conseguiam contar eram mínimos. Com o passar do tempo, não me sentia mais como um auxiliar, apenas medicando e reparando para elas um tratamento usual, mas sim como algum tipo de controlador. e essa não era a minha missão. Exerço uma capacidade de ajudar uma pessoa a perceber algo, todavia depois devo sumir, mas essas coisas nem sempre aconteciam. sou o culpado por uma tragédia, uma fatalidade que podemos ler como uma comédia negra. A fatalidade ocorreu, próximo ao ano novo. Dirigia muito nervoso, não aguentava ser chamado para trabalhar num dia de descanso. O cliente em questão era uma moça de 20 anos, uns 7 anos mais nova que eu que me ligava aos prantos não conseguindo entender a morte do namorado. Já havia explicado exercícios e dicas para ela umas duzentas vezes, e ao que parecia não havia sido cessados. Mordi tanto o meu lábio naquele dia, que parecia que poderia estourar. Parei quase perto da meia-noite, numa ponte ela estava reluzentemente linda contra a luz do luar e o efeito com a água, mas a face tão abatida, tão chorosa, conseguia estragar a ênfase de uma beleza tão diferente daqueles dias que no qual estava acostumado. Me sentei ao seu lado, um tanto aborrecido, com os ombros baixos sem muita satisfação e vontade de auxiliá-la, o que se vem o meu erro. Quando as palavras dela percorreram a minha cabeça, me senti como se suportasse coisas que não deveria. Minha vontade foi de me virar a fingir que conversava no celular, todavia quando ela ficou de pé perto do viaduto, fiquei momentaneamente estático.  Não conseguia falar nada, minha garganta se trancou. Ela ali, ameaçava se jogar crendo firmemente que perdeu metade de sua vida. Minhas mãos formigaram na tentativa repulsiva de obrigar alguns comando para as minhas pernas para pará-la, mas ao que intervia na vontade, não consegui. O máximo que vi depois desta trava, foi os cabelos dela voarem no ar e um forte impacto a escoar da água. Pisquei meus olhos duas vezes, sentindo meu tronco tremer e meu peito arder até ir contra a mureta observando a parte de baixo. O corpo já boiava e minha mão nem se quer, foi aparar o telefone. Andando de costas, fui até meu carro e dali desapareci. Meu ano já começava de forma ruim, não conseguia esquecer o meu erro. Poderia não ser totalmente culpado, entretanto poderia ter aguentado mais não?! Tarde demais para lamentar.

Cerca de duas semanas depois, quando ia para a clínica fui surpreendido por uma equipe responsável pela internação de pessoas com necessidades mentais. Ao que parecia para mim no momento, era a vinda de um novo paciente, mas ao reconhecer a velha senhora que sempre acompanhava a minha última paciente, aquela que morreu no ano novo, comecei a estranhar a situação. Ela chegou alegando sobre a morte de sua filha claramente olhando nos meus olhos, me apontando como suposto vilão. Larguei minha prancheta sob a mesa de vidro para observar apenas de forma, cabível. Quando uma frase escoou que eu não havia dado assistência e que por ainda, não havia remediado mais nada, meu corpo tremeu. Não escaparia da verdade, não sou destes. Neste ponto, retirei meu avental dobrando sob o braço os observando. Nas próximas explicações, a idosa reclamou a frente do diretor principal, que chegava um tanto estabanado querendo descobrir o que se acontecia. Abaixei minha cabeça perante a ele, ouvindo ainda as frases da velha quando assim revela um suposto lado meu que nunca percebi. 

Todas as vezes em que fazia minha consulta, de acordo com a falecida que assim noticiava sua mãe toda vez que chegava em casa, parecia perceptível que eu mudava meu comportamento. Do tranquilo e sorridente doutor ia para alguém que queria nada mais nada menos que todos morressem. Bem falando assim parece ridículo ou melhor, É RIDÍCULO porém, cada lance que ela dizia no instante, foi como uma facada em meu peito. O mais experiente da clínica, meu digníssimo mestre após sair do meu senso do estágio moldou aquilo como se fosse a mente de um sociopata. E foi assim que fui internado. Ninguém por aqui arrisca com um rumor. devem estar preparados para absolutamente tudo. Fui afastado temporariamente do meu cargo completa hoje e agora que vos falo tomando esta maldita injeção, dois meses. Conversei ontem por telefone com o diretor, tenho tido uma melhora e esta mudança de sentimentos. Diagnosticado como uma pessoa estável, amanhã sairei daqui e voltarei ao trabalho. 

Posso parecer meio maluco, mas… Espero um dia ver que você está lendo, sendo atendido por mim. O aguardarei ansioso! 

personalidade

É um homem taxado por confuso ou louco, por possuir ideias bem fora de sua época, Seojoon por ser um psicólogo sempre coloca a frente de sua personalidade, um lado simpático e intimidador que o faz conseguir usufruir da profissão e do dom para ser tanto comunicativo como um bom observador. Seguindo esta mesma linha paralela do conhecimento, observará que é um homem bastante sério, desajeitado e engenhoso. A quem o conhecerá através de uma consulta, tome cuidado com a sua mania de usar a hipnoterapia acima, parece que a ele, é a melhor forma de tudo para ajudar uma pessoa. A sua mentalidade mortífera ou simplesmente negativa que ultrapassa a média, ele a mantém controlada, graças ao seu irmão mais novo e também muito dedicado, Sukjin.

Para o amor, este já tem se declarado a uma moça mais nova cerca de dois anos, com o brilhante sonho de ser famosa e a quem tenta dedicar tudo aquilo que não exerceu na adolescência sendo constantemente alvo das sensações mais "sensíveis e íntimas"  possíveis. 
CIVIS / PSICÓLOGO
27 ANOS
AB
AO
-
HETEROSSEXUAL
SUL-COREANO
Atributos
VOCAL: 00 PONTOS
RAP: 00 PONTOS
DANÇA: 00 PONTOS
ATUAÇÃO: 00 PONTOS















Adultos
Mensagens :
3

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Dong Seo Joon

Mensagem por Someone em 12th Fevereiro 2016, 6:58 pm

Fichas
With love, Kaorgie.
Ficha aceita, parabéns! <33

Bem-vindo ao Sunny Days
Someone
avatar
Mensagens :
271

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum